GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Deepwater Operations
(6/11/2018 - 8/11/2018)
Moody Gardens Hotel & Convention Center, Galveston, TX USA
PennWell Petroleum Group

 
 
EXPOMAFE — Feira Internacional de Máquinas-Ferram ...
(7/5/2019 - 11/5/2019)
São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, Rodovia dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions/Abimaq


 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Produção - Artigos
  Autor/Fonte: Reuters/Portos e Navios,ed.691,set/18 (26)
  Data: 05/10/2018

    Campo de Lula terá pico de produção entre 2020 e 21 acima de 1 milhão de boed, diz Shell


O campo gigante de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos, deverá ter seu pico de produção entre 2020 e 2021, acima de 1 milhão de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), afirmou à Reuters nesta quarta-feira o gerente da Shell dos campos de Lula, Iracema, Lapa e Sapinhoá, Cristiano Pinto da Costa.

Operado pela Petrobras, o campo de Lula é o maior produtor do Brasil e deverá superar 1 milhão de boe/dia em 2019, segundo Costa.

Em julho, produziu média diária de 879 milhões de barris de petróleo e 36,8 milhões de metros cúbicos de gás, segundo os últimos dados publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Os 1 milhão de boe diários serão possíveis após a entrada das plataformas P-67 e P-69, previstas no plano de negócios para ainda este ano, segundo Costa.

O executivo explicou que o contrato de concessão do ativo vai até 2037. Ele evitou falar por quanto tempo o pico da produção irá se manter estável.

Costa ressaltou que Lula é considerado um ativo muito importante em todo mundo.

Segundo ele, atores internacionais ficam impressionados com os resultados de Lula, cujos poços chegam a atingir volumes de produção acima dos 40 mil boe/d. Lula é operado pela Petrobras, com 65 por cento de participação, em parceria com a anglo-holandesa Shell (25 por cento) e Petrogal Brasil, controlada pela portuguesa Galp (10 por cento).

 

Fonte: Reuters / Portos e Navios ed 69 (26/09/18)

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
Banner Lilás

  CopyRight © GasNet - 2013