GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Pipeline Week
(11/9/2018 - 13/9/2018)
The Westin Galleria, Houston, TX USA
Pennwell Corporation

 
 
Rio Oil & Gas 2018
(24/9/2018 - 27/9/2018)
Riocentro - Centro de Convenções, Av. Salvador Allende, 6555, Barra da Tijuca - RJ
IBP

 
 
Deepwater Operations
(6/11/2018 - 8/11/2018)
Moody Gardens Hotel & Convention Center, Galveston, TX USA
PennWell Petroleum Group

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  GNV - Artigos
  Autor/Fonte: Letycia Cardoso
  Data: 17/05/2018

    Conversão de carros para GNV cresce 66%


 

GNV é alternativa para altos preços da gasolinaFoto: Mônica Imbuzeiro 

GNV é alternativa para altos preços da gasolina Foto: Mônica Imbuzeiro / Arquivo O Globo

O número de conversões de carros para o gás natural veicular (GNV) no estado do Rio cresceu 66%, de acordo com a CEG e CEG Rio, na comparação entre os dois primeiros meses deste ano e do ano passado. Entre maio de 2017 e 2018, o aumento do preço do gás foi de apenas 9%, contra 12% do etanol e 19% da gasolina, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP). A economia em comparação aos outros combustíveis pode chegar a 60% por quilômetro rodado, de acordo com o diretor de GNV do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Município do Rio (Sindcomb), Gustavo Sobral de Almeida.


- Além de ser ecológico, o gás é uma vacina anti-crise que salva a população que precisa se deslocar.- compara Sobral.

O diretor ainda acredita que a conversão vale a pena mesmo para pessoas que não rodam muito com o veículo. Ele explica que apesar de demorarem mais para receber o retorno do valor investido no kit gás, esses motoristas têm a possibilidade de aproveitar o kit em outro automóvel, caso troquem de carro. Uma simulação da CEG, usando os preços médios do mês de maio registrados pela ANP e supondo que o condutor dirija 1000km por mês, calcula uma economia de até 65,9% com esse combustível. Segundo o levantamento, enquanto R$ 50 são suficientes para o deslocamento por 282 quilômetros com GNV, o mesmo valor só oferece autonomia por 106 quilômetros, ao optar pela gasolina.

Para economizar ainda mais, o consumidor deve pesquisar os preços dos postos de combustíveis. No Rio de Janeiro, por exemplo, o preço mínimo é R$2,299 e o máximo é R$2,699. Em São Gonçalo, varia entre R$2,399 e R$2,599, enquanto em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, os preços vão de R$2,489 a R$2,599. Durante a madrugada, ainda é possível abastecer por um valor menor ainda, já que diversos postos abaixam os preços para atrair clientes.

A procura pela conversão a gás costuma crescer no fim no ano e diminuir nos meses iniciais, segundo o gerente da Gazcar 2000 Roberto Palma, já que o procedimento precisa ser realizado até dezembro para obter o desconto do IPVA. Entretanto, entre janeiro e maio, a loja constatou aumento de 30% do movimento em relação ao mesmo período de 2017. 

- Em função do preço da gasolina, a procura se manteve alta. – analisou Palma.

O valor da conversão varia de acordo com o modelo do kit gás e também com o tamanho do cilindro escolhido, o qual pode comportar de sete a 22m³ de gás. Um levantamento do Extra encontrou opções do Geração 3, que tem sistema aspirado e mais simples, de R$2350 a R$3900. Já a instalação do Geração 5, aplicado em carros de injeção eletrônica, pode ir de R$4150 a R$7000.

Segundo Roberto Palma, todo carro perde, além do espaço na mala, cerca de 5 a 10% da potência após a conversão para GNV. Caso o motorista opte por fazer a conversão por causa da economia financeira, é necessário procurar uma oficina credenciada pelo Inmetro, realizar a vistoria junto ao órgão e a legalização no Detran. É imprescindível que o motorista não compre equipamentos usados , nem de procedência duvidosa para instalar em seu veículo e, após a conversão, respeite as normas de segurança, como: sair do veículo durante o abastecimento, desligar faróis, motor, rádio e celulares, além de não fumar no posto.

Também é necessário estar com a manutenção do equipamento em dia e, em caso de defeitos, recorrer a uma convertedora para fazer o conserto de acordo com a técnica ao invés de tentar realizá-lo sozinho.

Passo-a-passo

1) Antes da instalação, deve ser feita uma avaliação das condições do veículo para apurar se existem problemas na parte mecânica e elétrica.

2)Certifique-se de que a oficina instaladora está registrada pelo Inmetro e em dia com seu Certificado de Registro de Instalador – CRI pelo site
www.inmetro.gov.br/inovacao/oficinas . Outra opção é buscar uma oficina com o selo Oficina 10, que certifica as convertedoras, de acordo com critérios de segurança e qualidade.

3) Exija da oficina o atestado da qualidade do instalador registrado: documento que contém os dados do veículo e do proprietário, todos os componentes utilizados e as notas fiscais do sistema e do serviço de instalação.

4) Realize a inspeção, no prazo de cinco dias corridos da instalação, em um dos organismos acreditados pelo Inmetro. Aprovada a inspeção, o motorista receberá o Certificado de Segurança Veicular - CSV e o selo do Inmetro, com validade por um ano. 

5) O motorista deve pagar uma taxa de serviço (Duda) para atualizar a informação na base de dados do Detran-RJ. Além disso, é preciso quitar possíveis débitos referentes a multas, seguro obrigatório, IPVA (integral), taxa de emissão de CRLV e taxa de vistoria, a qual deve ser agendada pelo site 
www.detran.rj.gov.br.

 

 

Fonte: Extra/Sindcomb Notícias  (14/05/2018)

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



 

Informa Group
Banner Lilás

  CopyRight © GasNet - 2013