GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipam ...
(24/4/2018 - 28/4/2018)
São Paulo Expo Exhibition and Convention Center - Rod. dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions

 
 
22nd International Conference and Exhibition on P ...
(22/5/2018 - 24/5/2018)
Marriott Houston Westchase, Houston, TX USA
PennWell Corporation

 
 
27th World Gas Conference
(25/6/2018 - 29/6/2018)
Washington, D.C.
IGU - International Gas Union
The World Gas Conference is held every three years in the country holding the Presidency of the Inte ...

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Termelétricas - Artigos
  Autor/Fonte: Comex do Brasil / Abegaás
  Data: 07/02/2018

    Gás natural do Catar abastecerá complexo termelétrico Porto de Sergipe I durante 25 anos


 O estado de Sergipe finaliza no próximo ano a obra do complexo termoelétrico que receberá gás do Catar, país árabe do Golfo, a partir de 2020. A Centrais Elétricas de Sergipe (CELSE) é responsável pela implantação do Complexo Termoelétrico Porto de Sergipe I e assinou há um ano e dois meses um acordo de fornecimento de Gás Natural Liquefeito (GNL) com a OCEAN LNG LIMITED, joint-venture entre a Qatar PETROLEUM e ExxonMobil.

De acordo com entrevista por e-mail à ANBA do presidente da CELSE, Eduardo Maranhão, a OCEAN LNG fornecerá até 1,3 milhão de toneladas por ano de GNL para a CELSE. O contrato prevê fornecimento ininterrupto por 25 anos até dezembro de 2044, segundo Maranhão. O gás natural será usado como combustível da usina termoelétrica do complexo, que produzirá energia para a linha de transmissão que vai até o sistema integrado nacional.

Segundo informações da CELSE, o Complexo Termoelétrico Porto de Sergipe I terá uma usina termelétrica, que transformará o gás natural em energia elétrica, uma linha de transmissão de 33 quilômetros e um conjunto de instalações offshore. Destas últimas fazem parte uma unidade flutuante de armazenamento e regaseificação (FSRU) de GNL e um gasoduto. O gás chegará do Catar na forma líquida e será regaseificado nestas instalações.

De acordo com a empresa, toda essa estrutura utilizará tecnologia de ponta, o que otimizará a usina em seu nível mais elevado de produção. O navio FSRU ficará ancorado e receberá o gás do Catar. Ele terá capacidade para 170 mil metros cúbicos de GNL, suficiente para atender a unidade termelétrica do complexo por 17 dias em plena carga (funcionando as 24 horas do dia). Segundo a CELSE, o navio FSRU está sendo construído pela Samsung e será operado pela empresa GOLAR Power.

De acordo com Maranhão, a CELSE optou por importar GNL do Catar por causa da necessidade de garantir o fornecimento ininterrupto de gás natural por 25 anos, necessário para a entrada da empresa no leilão de energia nova do tipo A-5. O leilão, do qual a CELSE participou em 2015, foi formado por usinas que entrariam em operação comercial em até cinco anos. Na ocasião, a companhia de Sergipe conseguiu 26 contratos para fornecer gás a partir de 2020.

Além de usar o gás natural do Catar na usina do complexo, as quantidades que não forem processadas poderão ser fornecidas para novas empresas que queiram se instalar na região. Mas a prioridade é o fornecimento à termelétrica, afirma Maranhão. De acordo com material divulgado pela CELSE, o GNL é uma opção mais limpa que outros combustíveis e gera 90% menos emissões se comparado a termelétricas que utilizam diesel.

Depois de o complexo finalizado, em 2019, terá início a fase de testes e comissionamento, que é o processo de assegurar que tudo está de acordo com os requisitos operacionais. De acordo com o presidente da CELSE, em janeiro de 2020 a usina estará pronta para fornecer energia comercialmente, conforme estabelecido nos contratos de compra e venda firmados no leilão.

O fornecimento do GNL do Catar a Sergipe deve dar impulso na exportação do país árabe ao Brasil. O Catar já exporta gás para o mercado brasileiro, mas os valores não são altos. No ano passado, a nação do Oriente Médio embarcou US$ 445,8 milhões ao Brasil, dos quais nem 10% – US$ 35,9 milhões – foi relativo a gás. A maior parte da exportação é de fertilizante. Os estados compradores de gás do Catar em 2017 foram o Ceará, com US$ 27,5 milhões, e a Bahia, com US$ 8,4 milhões.

De acordo com informações da CELSE, o Complexo Termelétrico Porto de Sergipe I terá investimento total de R$ 5 bilhões, o maior já feito no estado. O empreendimento fica no munícipio de Barra dos Coqueiros, na região metropolitana de Aracaju. A CELSE é uma empresa criada pela companhia brasileira Eletricidade Brasil (EBRASIL) e a GOLAR Power, esta última joint-venture entre a norueguesa GOLAR LNG e o fundo de investimentos norte-americano STONEPEAK INFRAESTRUCTURE PARTNERS.

 

Fonte: Comex do Brasil / Abegás (01/02/2018)

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos 2018

  CopyRight © GasNet - 2013