GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipam ...
(24/4/2018 - 28/4/2018)
São Paulo Expo Exhibition and Convention Center - Rod. dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  GNL - Artigos
  Autor/Fonte: Reuters /Abegás
  Data: 01/11/2017

    Mercados de GNL devem seguir com sobreoferta após 2020, apesar da forte demanda, diz IEA


 Os mercados globais de Gás Natural Liquefeito deverão seguir com excesso de oferta na década de 2020, devido a uma alta na produção, apesar de uma demanda em crescimento especialmente na China, que pode tornar o mercado mais apertado antes do esperado, disse a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), no dia 23/10/2017.

Nós vamos ver massivos montantes de nova capacidade em GNL vindo para o mercado… então nós, provavelmente, vamos continuar a ter mercados bem abastecidos até meados dos anos 2020, disse o diretor de mercados de energia da IEA, Keisuke Sadamori.

O Catar, por exemplo, vai elevar sua capacidade de liquefação de GNL em 30 por cento até 2024, o que nós não incluímos em nosso relatório de 2017 sobre as perspectivas do mercado de gás, disse Sadamori.

O Catar, que tem competido com a Austrália pelo posto de maior exportador de GNL global, disse em julho, que pretende aumentar sua produção em 30 por cento, para 100 milhões de toneladas, nos próximos 5 a 7 anos.

A produção de GNL nos EUA também está crescendo, em grande parte, graças à grande produção de gás de xisto nos últimos anos.

A Ásia consome cerca de 70 por cento do GNL global, mas muito pouco disso é livremente negociado. A maior parte dos volumes são entregues sob contratos com termos fixos entre os produtores e os grandes compradores no Japão e na Coreia do Sul.

Nós estamos vendo uma gradual queda na fatia de contratos baseadas em destinos fixos… estamos também vendo uma tendência de a duração dos contratos ficar mais curta, em geral, disse Sadamori.

 

Fonte: Agência Reuters/ Abegás (24/10/2017)

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos 2018

  CopyRight © GasNet - 2013