GasNet - O Site do Gás Natural e GNV  
 
 
 
Em   
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Gerência de Riscos em Comercialização de Energia
(4/8/2015 - 6/8/2015)
Centro Empresarial Rio, Edifício Argentina, Rio de Janeiro/RJ
CTEE/Grupo CanalEnergia
O objetivo deste curso é fornecer ao participante uma completa visão da gestão e precificação de ris ...

 
 
Formação de Preços de Energia no Brasil
(18/8/2015 - 20/8/2015)
Centro Empresarial Rio, Edifício Argentina, Rio de Janeiro/RJ
CTEE/Grupo CanalEnergia
O objetivo deste curso é fornecer ao participante uma completa visão da formação dos preços de ener ...

 
 
Negócios em Energia Renovável - Análise de Viabili ...
(25/8/2015 - 27/8/2015)
Grand Plaza Hotel, São Paulo/SP
CTEE/Grupo CanalEnergia
O curso Negócios em Energia Renovável - Análise de Viabilidade foi estruturado de forma que os alun ...

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Gasodutos - Express
  Autor/Fonte: Diário do Comércio, MG
  Data: 28/08/2012

    Licitação para obras em Uberaba já está em curso


Projeto da Petrobras, do PAC 2, está orçado em US$ 1,3 bilhão.
 

A licitação para escolha da empresa que realizará as obras de construção da fábrica de amônia da Petrobras, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, já está em curso. De acordo com informações do secretário de Desenvolvimento Econômico do município, Carlos Assis, as propostas encontram-se em processo de análise pela comissão de  licitações da estatal e o resultado da concorrência deverá sair nas próximas semanas.

 

Batizado de Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN V), o empreendimento, que integra o Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), vai demandar US$ 1,3 bilhão em inversões e será viabilizado pelo ramal do Gasoduto Brasil-Bolívia (Gasbol), que será bancado pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Procurada pela reportagem, a Petrobras não confirmou nem negou o andamento da licitação.

 

De acordo com Assis, simultaneamente à concorrência, estão sendo finalizadas as obras de terraplenagem para construção do empreendimento. Segundo ele, começadas em fevereiro, as intervenções serão entregues no próximo mês. "Até o momento, os serviços estão todos dentro do estipulado pelo cronograma e em setembro de 2015 já deveremos ter o início das operações", afirma.

 

Esta é a primeira etapa de implantação da fábrica e está sendo realizada pela Construtora Egesa. A licença ambiental de instalação foi concedida em abril último e a expectativa é que sejam gerados cerca de 4,7 mil postos de trabalhos diretos e indiretos durante o período de obras. Após o início das operações este número será de 270.

 

Outra importante etapa, que diz respeito às tecnologias e equipamentos a serem utilizados durante as obras civis de implantação da planta de amônia, também já foi iniciada. Conforme Assis, a empresa francesa Technip, no âmbito de uma parceria de cooperação com a Haldor Topsoe, venceu o contrato de prestação de serviços de engenharia básica para construção e ficou responsável também pelos os equipamentos a serem utilizados durante as obras.

 

"Pela alta complexidade e grande porte dos equipamentos, os mesmos podem levar até 900 dias para serem entregues. Por isso, alguns já foram adquiridos e já começaram a chegar na cidade, o que indica, mais uma vez, que o projeto está mantido", reitera, fazendo menção à reavaliação do plano de negócios da Petrobras para novos projetos na área de energia e gás, listados para o período 2012-16. Ao todo, os aportes somam US$ 236,5 bilhões, dos quais US$ 27,5 bilhões estão em análise.

 

A unidade no Triângulo irá produzir 519 mil toneladas de amônia por mês, utilizado como insumo na produção de fertilizantes. A fábrica irá operar em regime de 24 horas/dia e deverá ocupar um terreno de 103 hectares no Distrito Industrial 3 do município.

 

A escolha de Uberaba para abrigar a UFN V é considerada estratégica, já que o local onde será instalada abriga indústrias do setor petroquímico, inclusive unidades de fabricação e formulação de fertilizantes. Dessa forma, a planta irá beneficiar os fabricantes de fertilizantes, pois tanto contribuirá para a redução dos custos com logística como reduzirá os riscos existentes no transporte rodo-ferroviário desse insumo. Além disso, as regiões do Triângulo e Alto Paranaíba abrigam diversas indústrias que fazem uso da amônia como fluído refrigerante.

 

 

 

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Banner Lilás
Banner Lilás

  CopyRight © GasNet - 2013